Dólar cai a R$ 5,26 e Bovespa sobe acompanhando o exterior

Por G1 | Portal Gazetaweb.com     06/04/2020 12h09

Bolsas na Ásia e na Europa reagem positivamente à desaceleração do número de mortes na Itália, Espanha e França

Dólar opera em queda de 1,69%, a R$ 5,2372

FOTO: Divulgação

As principais bolsas da Europa operam em alta firme nesta segunda-feira (6), em meio a uma ligeira desaceleração nas mortes diárias da pandemia de coronavírus no domingo (5).

Já os preços do petróleo operam em queda depois das negociações entre a Rússia e a Arábia Saudita para reduzir a produção terem sido adiadas para quinta-feira, mantendo as preocupações com excesso de oferta.


Veja os principais destaques do dia

  • Dólar: opera em queda de 1,69%, a R$ 5,2372
  • Bovespa: opera em alta de 7,53%, a 74.774 pontos
  • Bolsa de Nova York (Dow Jones): opera em alta de 4,59%
  • Bolsa de Londres: opera em alta de 2,54%
  • Bolsa de Frankfurt: opera em alta de 5,43%
  • Bolsa de Paris: opera em alta de 4,42%
  • Bolsa de Madri: opera em alta de 3,98%
  • Petróleo WTI: opera em queda de 6,10%, a US$ 26,61
  • Petróleo Brent: opera em queda de 3,08%, a US$ 33,06
  • Bolsa de Tóquio: fechou em alta de 4,2%
  • Bolsa de Xangai: mercados na China ficaram fechados devido a um feriado público
  • Bolsa de Seul: fechou em alta de 3,85%
  • Bolsa de Singapura: fechou em alta de 3,40%
  • Bolsa de Sydney: fechou em alta de 4,33%

Últimos destaques

  • A Argentina planeja adiar pagamentos de até US$ 10 bilhões em dívidas emitidas em dólares sob a lei local até o final do ano, disse o governo em um decreto no domingo, em uma tentativa de aliviar pressão sobre pagamentos. O decreto não afetará os cerca de US$ 70 bilhões em dívidas em moeda estrangeira.
  • Espanha, Itália e França registraram uma esperançosa redução no número de mortes por coronavírus nas últimas horas, mas a pandemia, que já matou 68 mil pessoas em todo o mundo, está se espalhando nos Estados Unidos, onde os cidadãos estão se preparando para a "semana mais difícil".
  • A França pode registrar em 2020 sua pior recessão desde o fim da Segunda Guerra Mundial, afirmou o ministro da Economia, Bruno Le Maire. "O pior dado de crescimento que a França registrou desde 1945 foi em 2009, depois da crise financeira de 2008, de -2,2%. Provavelmente estaremos muito além de -2,2% este ano", avaliou.
  • No Japão, o primeiro-ministro Shinzo Abe está se preparando para declarar estado de emergência em algumas partes do país, incluindo Tóquio, onde o número de infectados continua a aumentar.
  • A Rússia está pronta para uma coordenação com outros importantes exportadores de petróleo com vistas a ajudar a estabilizar o mercado global da commodity, disse o governo russo. Segundo o porta-voz, as conversas entre a Opep e outros importantes produtores, um grupo conhecido como Opep+, foram postergadas para quinta-feira por questões técnicas e que os preparativos estão em andamento para a reunião.