Vereadores definem integrantes da CEI para investigar preço da gasolina

Por Portal Gazetaweb.com, com Assessoria     20/04/2017 18h51

Comissão tem prazo determinado de 60 dias para ser concluída, podendo ser prorrogada por igual período

Preço da gasolina vendida em Maceió será investigado pela Câmara de Vereadores

FOTO: Rafael Maynart

A Câmara Municipal de Maceió definiu, em sessão ordinária nesta quinta-feira (20), os sete membros que passam a compor a Comissão Especial de Inquérito (CEI) que deverá apurar as denúncias de formação de cartel praticado por donos de postos de combustíveis no preço da gasolina na capital e investigar a grande diferença de preço da gasolina que é cobrado em Maceió em relação a outras cidades alagoanas e estados vizinhos como Pernambuco e Sergipe. 

De acordo com o que determina o Regimento Interno da Casa, uma CEI tem prazo determinado de 60 dias para ser concluída, podendo ser prorrogada por igual período. Com 18 assinaturas, o requerimento foi protocolado por Zé Márcio Filho na quarta-feira (19), aprovado nesta quinta-feira no Plenário da Casa e, com isso, a comissão será instaurada na sessão ordinária da próxima terça-feira (25).

A CEI será presidida pelo vereador e propositor da comissão, Zé Márcio Filho (PSDB). Além dele, Silvânio Barbosa (PMDB), será o relator e os demais membros são Samyr Malta (PSDC), Francisco Sales (PPL), Luciano Marinho (PTN), Silvânia Barbosa (PRB) e Antônio Hollanda (PMDB).

"O objetivo da CEI não é prejudicar os donos de postos de combustíveis de Maceió. Mas, sim, entender o porquê da diferença acentuada dos preços de combustíveis cobrados aqui na capital alagoana comparados a cidades como São Miguel e Arapiraca. No nosso município, o litro da gasolina chega a R$ 4,00, e naquelas cidades do interior se cobra até R$ 0,40 a menos. Além disso, outras capitais do Nordeste, como Recife (PE) e Aracaju (SE), o preço também é abaixo de Maceió, e isso precisa de uma explicação. Nós vamos trabalhar para que haja redução no valor do litro da gasolina. O que não dá é para continuarmos com essa discrepância", declarou o presidente Kelmann Vieira (PSDB).

Membro da CEI, o vereador Francisco Sales falou sobre a necessidade se tirar a limpo por que a gasolina em Maceió está tão cara, quando comparada a outros lugares. Ele classificou de absurdo o preço da gasolina praticado pelos postos da capital.

"O preço do combustível em Maceió é um verdadeiro abuso contra o consumidor. Volto a dizer que esse abuso se reflete também no impedimento do Procon, estabelecido pela Justiça, em fiscalizar esse setor. Os postos em Alagoas, particularmente na capital, cobram o preço que querem e não há órgão que controle valores e qualidade do combustível que é colocado nos nossos carros. Isso não pode acontecer mais. A Câmara de Maceió mostra que está trabalhando e fazendo o que as pessoas precisam, que é defender o consumidor", argumentou Francisco Sales. 

Relator da CEI, Silvânio Barbosa destacou o equilíbrio da Casa e da prestação de serviços feitos pela Câmara, principalmente nos últimos dias. "É grande a responsabilidade da Casa que, nas últimas semanas, tem feito proposições uma atrás da outra e tem sido aplaudida pela população porque a sociedade tem acompanhado passo a passo sobre o que temos pautado, que são projetos de lei de interesse coletivo, para pessoas de todas as classes. Como disse o presidente Kelmann, esta CEI não tem por objetivo julgar ninguém. Não queremos prejudicar o setor ou donos de postos, mas o parlamento tem o interesse de ter todas as informações necessárias e a partir delas, apontar alternativas, buscar soluções", disse Barbosa.