"Baixar a cabeça e trabalhar em dobro", diz Júnior Rocha após sofrer goleada

Por Isaac Simões | Portal Gazetaweb.com     15/05/2018 23h15

Treinador regatiano elogia eficiência do Avaí na partida e fala em ajustes no setor defensivo do Galo

Após goleada, Júnior Rocha diz que é preciso trabalhar em dobro para corrigir erros

FOTO: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas

Após o CRB ser goleado por 4x0 para o Avaí em pleno Rei Pelé, nesta terça-feira (15), o técnico regatiano Júnior Rocha falou, durante coletiva para imprensa nesta noite, que agora é o momento de aceitar as críticas e trabalhar bastante para corrigir os erros cometidos. 

- Eles [Avaí] foram muito eficientes no jogo de hoje e infelizmente as coisas não deram certo. Não porque a gente quer, mas é do futebol. Vamos baixar a cabeça agora, trabalhar o dobro e, principalmente, ajustar a nossa parte defensiva.

O comandante regatiano também lembrou da maratona que o Galo enfrentou nesta primeira quinzena de maio e comemorou o fato de agora ter uma semana livre para trabalhar. 

- Nesse momento, de muitos jogos seguidos, nós estamos priorizando a recuperação dos atletas. Eu só tive um dia de trabalho com eles. Agora sim, a gente começa na próxima quinta-feira em dois períodos, sexta, sábado, domingo e segunda para o jogo de quarta-feira. Na terça, viajaremos e, provavelmente, não vamos conseguir treinar. Mas vamos ter seis dias de muito trabalho.

Questionado sobre os erros do setor defensivo da equipe, o técnico do Galo respondeu: - A gente vinha em uma crescente e, daqui a pouco, perde de 4x0 em casa. Parece que está tudo errado. E se ganhássemos também não significaria que estava certo. O que precisamos fazer é ajustar a parte defensiva, porque realmente fiquei muito triste hoje. Não podemos ficar vulneráveis como ficamos. No futebol atual não dá mais.

Ainda na mesma entrevista, Júnior Rocha admitiu que precisará poupar alguns jogadores devido à quantidade de jogos da temporada.

- Nós temos que superar esses momentos ruins. Porque já conseguimos isso quando cheguei aqui, baixando a cabeça, trabalhando no dia a dia, ajustando e comprando a ideia de jogar organizado. Hoje não deixamos de fazer o que treinamos, mas não deu nada certo. Temos que corrigir pontualmente e ter cuidado com o grupo também, porque temos atletas experientes, com idade avançada. Então, vamos discutir isso internamente porque precisaremos revesar alguns jogadores.