Policiais cumprem mandados de prisão contra acusados de homicídios

Por Rayssa Cavalcante | Portal Gazetaweb.com     11/07/2018 18h38 - Atualizada às 12/07/2018 07h06

Acusados foram presos nos municípios de Maceió e Coruripe; eles são investigados também por possível participação em chacina que vitimou oito pessoas

Suspeito Anderson Nicholas Da Silva Lessa, de 35 anos, preso em Coruripe 

FOTO: Cortesia

Policiais Civis da Divisão Especial de Investigação e Capturas (DEIC) cumpriram, nessa terça-feira e nesta quarta-feira (11), mandados de prisão e apreensão em Maceió e Coruripe, em Alagoas. Ao final da operação, duas pessoas foram presas. 

De acordo com informações do delegado Fábio Costa, responsável por coordenar a operação, os suspeitos, identificados como Josemar Araújo Ferreira, de 44 anos, conhecido como Mazinho, e Anderson Nicholas da Silva Lessa, de 35 anos, também são suspeitos de participar de um grupo de extermínio que atua no estado. 

Além disso, a dupla é acusada de participar de chacinas, que chegou a vitimar 8 pessoas nos meses de maio e março deste ano, nas cidade de Teotônio Vilela e Coruripe. 

A Polícia Civil (PC) segue as investigações e está a procura de um terceiro acusado, identificado como Ronaldo dos Santos Bispo, que é considerado como um dos líderes do grupo criminoso. O "Mazinho" foi preso em Maceió e Anderson Nicholas foi encontrado no município de Coruripe. 

Suspeito Josemar Araújo Ferreira, de 44 anos, preso em Maceió

FOTO: Cortesia
Ainda de acordo com o delegado Fábio Costa, há outros suspeitos envolvidos nos crimes. A Deic segue em diligência buscando capturar a pessoa responsável por ordenar as mortes. O delegado ressalta que não descarta a participação de policiais nos crimes e no grupo criminoso. 

"Estamos há cerca de quatro meses apoiando os trabalhos investigativos na circunscrição destes municípios por ordem do secretário de Segurança Pública, coronel Lima Júnior e do delegado-geral Paulo Cerqueira. Não podemos e não vamos dar tranquilidade aos criminosos. Vamos prender e tirar de circulação todos os envolvidos e devolver a paz à sociedade independente de quem esteja praticando ou ordenando os crimes"

O delegado reforça ainda que outras prisões poderão ocorrer durante os desdobramentos das investigações e pede a ajuda da população. "Qualquer informação que a população tenha que possa auxiliar na identificação de outros indivíduos será extremamente importante, podendo ser feitas anonimamente por meio do Disque-denúncia telefone 181", finalizou.