Busca por provável causa de fissuras no Pinheiro só deve ser concluída em abril

Por Rafael Maynart | Portal Gazetaweb.com     11/01/2019 09h52

Equipe do Serviço Geológico do Brasil chegou a Maceió para iniciar mapeamento do fundo das lagoas Mundaú e Manguaba

Fundo das lagoas será estudado para encontrar possíveis causas de fissuras no Pinheiro

FOTO: Arquivo

Os novos estudos para identificar as causas do surgimento de fissuras no bairro do Pinheiro, em Maceió, foram retomados pelos pesquisados do Serviço Geológico do Brasil e devem durar até abril deste ano, segundo informou a Defesa Civil Municipal, na manhã desta sexta-feira (11). A nova etapa irá mapear o relevo e estruturas do fundo das lagoas Mundaú e Manguaba.

De acordo com a assessoria, o trabalho de batimetria sísmica é um método de estudo para definir o relevo e estruturas geológicas/descontinuidades no fundo das lagoas em busca de sinais de subsidências ou que indiquem alterações morfológicas anormais.

Três pesquisadores já estão em Maceió desde o início da semana e uma equipe, com cerca de 20 integrantes, deve chegar à capital ainda nesta sexta-feira, para dar início ao estudo.

Até o momento, foram instaladas apenas as réguas no Porto de Maceió, que vão auxiliar neste estudo.