Brasil e Hungria defendem que acordo Mercosul-EU seja ratificado

Por Agência Brasil     09/10/2019 17h50

Economia da Hungria é uma das mais dinâmicas da Europa, tendo crescido mais do que a média da União Europeia

Acordo Mercosul-EU foi finalizado em 28 de junho, depois de quase 20 anos de negociações

FOTO: Alan Santos/PR

A Hungria e o Brasil comprometeram-se a realizar esforços em favor da ratificação do acordo Mercosul-União Europeia, diz comunicado conjunto divulgado na tarde de hoje (9) pelas chancelarias dos dois países. O documento resume os assuntos discutidos pelo ministro dos Negócios Estrangeiros da Hungria, Péter Szijjártó, durante a sua visita ao Brasil em 7 e 8 de outubro.

Em Brasília, no dia 8, Péter Szijjártó reuniu-se com o ministro brasileiro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, com quem co-presidiu a 5ª Comissão Mista Econômica Brasil-Hungria. O ministro Szijjártó foi recebido em visita de cortesia pelo presidente Jair Bolsonaro.

A economia da Hungria é uma das mais dinâmicas da Europa, tendo crescido mais do que a média da União Europeia. No primeiro semestre deste ano, seu crescimento atingiu cerca de 5%.

O acordo Mercosul-EU foi finalizado em 28 de junho, depois de quase 20 anos de negociações. O texto do documento ainda está passando por revisão jurídica antes de ser levado aos parlamentos de todos os países que compõem a União Europeia e o Mercosul.

Segundo o documento divulgado hoje (9), Brasil e Hungria consideram que o acordo Mercosul-EU é um "instrumento de criação de oportunidades de negócios e de investimentos, promoção da competividade e fomento da sustentabilidade".

No Brasil vivem mil descendentes húngaros, sobretudo em São Paulo e nos estados do Sul, assinala o comunicado.