Pinheiro: Promotor defende demolição de prédios e transferência de escola

Por Victor Lima | com TV Gazeta     14/01/2020 13h42

José Antônio Malta Marques disse ainda que órgãos públicos estão a favor da sociedade e que Braskem tem cumprido acordo

Promotor fez uma análise do Caso Pinheiro atualmente

FOTO: dicom/tjal

O promotor de Justiça José Antônio Malta Marques defendeu a demolição de prédios e a transferência da Escola Estadual José Correia da Silva Titara, situada no Centro Educacional de Pesquisas Aplicadas (Cepa), durante entrevista ao AL1, da TV Gazeta. Marques destacou que as iniciativas são importantes para prevenir possíveis acidentes. 

Prestes a realizar uma audiência pública com os moradores dos bairros afetados pela atividade petroquímica da Braskem, o promotor fez uma análise de como o caso está neste momento. 

"O que nós temos visto é que muita gente quer ser o padrinho da causa, mas os órgãos estão unidos e acompanhando. Cabe a nós, como órgãos intervenientes, fazer junções e cobrar que a Braskem cumpra o acordo. Tem alguns prédios que precisam ser demolidos urgentemente, como os do Jardim Acácia", afirmou o promotor.  

Marques também foi questionado sobre a transferência da Escola Estadual José Correia da Silva Titara para Marechal Deodoro e apoiou a prevenção de possíveis acidentes envolvendo os alunos. "Tudo o que diz respeito ao acordo será discutido. Sobre essa situação, eu tenho um outro olhar e acredito que os alunos devem ser distribuídos para escolas mais próximas de onde eles moram. [...] É melhor que eles sejam realocados do que o prédio cair e as mães chorarem lágrimas de sangue", defendeu. 

Malta Marques encerrou a entrevista reforçando o papel dos órgãos públicos envolvidos no acordo com a Braskem. "Guardamos a sociedade e a manutenção do acordo formulado para que a gente amanhã possa tirar esse fardo das nossas costas".